quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

O ano começou de verdade ou em busca da simplicidade.


Boa tarde pra quem é de boa tarde, não estamos na China mais por aqui o ano novo só começa de verdade hoje. Mãos a massa meus caros proletários, alguns mais baratos do que os outros, mais todos com o mesmo valor. Eu como todo bom brasileiro reservo-me o direito de cumprir as minhas promessas de fim de ano solamente a partir de agora, já que o feriado de carnaval passou e esse que vos fala como sempre num fez nada de diferente. Passei os dias em meio a nuvem de fumaça, em processo de engorda com tudo o que pedi a Deus: um do bom, comida suculenta, mulher pra conversar e me calar na hora certa. Pode ser que tenha faltado um baile de carnaval ou quem sabe mais visitas aos amigos, mais aos meus olhos o que valeu a pena de verdade foi passar momentos agradáveis de despedida da minha já antiga velha casa, provavelmente me mude neste final de semana para as dependências de um novo bairro, o famoso Santo Amaro, mais perto de mamãe, mais perto da praça onde eu reinei nos tempos aureos de futebol de salão e também pertinho do mercadinho e da famácia e da padoca e da lanchonete. Puta que os pariu, eu nem sabia que gostaria, mais é muito loko você ter conta num buteco, ser considerado na sua quebrada, conhecer as pessoas na rua pelo nome. Pois é sábido que todo mundo neste imundo mundo sonha em bater asas, cair na maldade e evoluir da província onde nasceu, mais bem vos digo eu, que grandeza de carácter vale muito mais do que fama em qualquer lugar, ter à alma limpa requer muito mais preparo e estudo do que qualquer doutorado ou mestrado que se possa fazer na vida. O mais difícil é ser simples neste mundo cheio de intolerância e arrogância, um dia eu espero alcançar do lado da minha pretinha, da nossa cachorrinha e no conforto da nossa casinha a simplicidade. Tô no caminho (eu espero) oferecendo na faixa um conselho pra quem valoriza mais a cifra: dê nada vale o conhecimento sem pureza nos sentimentos. Portanto vamos que vamos, na pureza da flor, na dureza e na dor do espinho, na força, no talento com raça, com muito amor e carinho, um feliz ano do Rato para todos.



Um comentário:

léô hippie disse...

mandou bem pra caramba na letra ae
aquele abraço