segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Para aliviar a segunda um poemeta do Curitibano marginal Paulo Leminski:

Lembrem de mim
como de um
que ouvia a chuva
como quem
assiste missa
como quem hesita, mestiça,
entre a pressa e a preguiça.

2 comentários:

Isa Cardoso disse...

Háháhá!!!Fácil lembrar, difícil esquecer!!!...os incríveis dizeres de Marco Cardoso, o poeta, o cronista, o músico, o crítico... e acima de tudo...o amante inveterado da vida como ela é...nua e crua...e ao mesmo tempo cheia de poesia...TE AMO. Fácil Lembrar, difícil esquecer...talento puro!!!pé direito nesse novo projeto meu amor.

Raquel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.