terça-feira, 31 de março de 2009

Recado pra mim publicitário.

Essa porra de publicitário é tudo louco. Já coube um dia afirmação deste nível, hoje nem faz sentido, o ser publics enganatorius, também conhecido como publicitário sentiu durante anos a necessidade tangente de enfiar guelá abaixo de muitos clientes em potencial o conceito que o seu negócio cresce de verdade se for assistido e promovido por uma agência. Por se tratar de uma profissão quase sempre relacionada com a classe artística (a mais discriminada das profissões) os publiciotários toda vida se preocuparam em transmitir a seriedade como fator predominante na profissão, por vezes mil fi necessário a muitos profissionais que vivem disto, fazerem das tripas coração para provar a todos que executam um ofício sério e digno.

O resultado de tudo isso, a maioria dos publicitários de hoje são uns chatos do caralho, sem sal nem açucar, mas cheios de medo de arriscar. Uma porrada de nerd, uns milhares criados com a vó, outros tantos que por diferencial falam inglês, mais uma cambada que joga bolita até hoje no carpete da sala pra não sujar o pé com a lama, soltadores de pipa no elevador, pesacadores de aquário, puritanistas evangélicos ou católicos beatos, enfim todos uns chatos. Participantes fiéis da limpeza de valores de fachada que o nosso mundo atravessa, hoje já não temos bandas de rock e tirando a Amy Chupewouse nenhum cantor que periga morrer de overdose. Aqui na terrinha NX0 e bandinhas que poderiam ilustrar embalagem de iogurte tomam conta da cena musical, qualquer putaria é classificada como politicamente incorreta e como exemplo super atual a propaganda do Girraffas foi classificada como ofensiva só porque a girafinha ironizava dizendo "essa eu já peguei".

Tenham dó meus caros amigos, deixem de ser tão piegas pés no saco puritanistas de plantão, essa postura impregnada nos patrões é rapidamente transmitida e disseminada entre as pessoas de bem, que jantam na frente da TV e acabam engolindo a merda do horário nobre, devorando como sobremesa o intervalo do jornal nacional, isso há tanto tempo no cotidiano, que tem nego que nem sabe por que faz, virou hábito, vício de linguagem.

Já os professores universitários e vários e vários clientes estão em fase terminal de impregnação. Até que ponto é preciso anunciar se for pra dizer a mesma merda que a maioria, se for pra dizer o que você mesmo diria por que é que me chamou, se for vender sem por que, se for pra enganar, pra se dar bem, se for pra baixar a cabeça, se for pra engolir desaforo, se for pra induzir ao consumo, se for pra ser medíocre, fala com a gente, nosso sistema de atendimento via telemarketing está apto e porretamente prontinho pra melhor lhe atender. Aqui vale tudo menos publicitário de verdade, acorrentado a uma mesa de trabalho, criando ulcera na base do café com cigarro, tentando matar a mesmice a golpes de facão, junto com mais essa leva de nego cusão que tem medo de experimentar o quanto é bom rimar na criação.


Obs.: Ei publicitário vai tomar no cú.

Um comentário:

ThEm. disse...

gosta de música da boa? então escuta a música homonima ao teu blog...
Música da boa do RN...

http://www.myspace.com/cantorakhrystal